Muitas espécies de répteis, como tartarugas, cobras, iguanas ou dragões-barbudos, podem ser mantidos como animais de estimação, necessitando de terrários permanentemente aquecidos e outros requisitos próprios das espécies em causa.

Os répteis são animais de sangue-frio e pele escamosa que conseguem habitar ambientes bastante inóspitos como os desertos, embora estejam ausentes dos polos gelados. Uma vez que não possuem uma temperatura corporal constante, necessitam de calor externo para regular a sua temperatura. Existem quatro grupos de répteis: tartarugas e cágados, cobras e lagartos, crocodilos e aligátores e por fim as tuataras. Um terço dos répteis de todo o mundo encontra-se ameaçado de extinção.

Os répteis também são prejudicados quando não lhes é provido ambiente e temperatura adequados. Segundo a empresária e médica veterinária, Thalita Michelle Queté dos Reis, especializada em clínica e cirurgia de animais silvestres e exóticos, “no caso dos répteis como pets, se forem mantidos de forma inadequada, sem controle de temperatura ambiental, podem ter vários problemas de saúde como: desidratação, anorexia, queimaduras na pele e, inclusive, virem a óbito”, adverte. 

No caso de viverem em quintais soltos, como ocorre com muitos jabutis, sempre deve haver água fresca disponível e sombra. Nunca mantenha o animal em locais onde ele não possa se abrigar da luz do sol direta quando quiser. Dentro de casa, ventiladores e ares- condicionados podem ser usados nos ambientes onde estão os répteis, mas sempre com cuidado e supervisão do proprietário”, frisa a médica veterinária.

De acordo com a especialista, no caso de répteis confinados em terrário, é indispensável a presença de um termômetro e de um higrômetro, além de uma área mais quente e outra mais fria dentro do recinto para que o animal possa escolher onde ficar.

Com esses cuidados, você e seu melhor amigo pet já estão prontos para curtir tudo que o verão traz de bom.


(Redação Anhambi com informações Portal Melhores Amigos e Mundo dos Animais)